• Mayla Valenti

Comunicação para um mundo melhor (parte 3)



Com esta edição, chegamos ao fim da série de textos sobre comunicação coerente. Tivemos vários retornos positivos o que reforça que este é um tema importante. Por isso, nós consideramos que não é o fim, mas apenas o início do nosso diálogo. Nesta última parte, vamos compartilhar alguns cuidados que temos com o uso de alguns termos e expressões que são comuns na educação ambiental:

  • Usar "com" no lugar do "para" quando nos referimos às pessoas que participam das atividades para enfatizar a construção dialógica do conhecimento e evitar uma ideia de apenas transmissão de quem sabe a quem não sabe;

  • Usar "participantes" no lugar de "alunas(os)" para enfatizar o caráter participativo da atividade;

  • Não usar o termo "público alvo", ou mesmo “atingir” determinado público, pois passa uma ideia de imposição ou até de manipulação das pessoas;

  • Evitar frases como "transmitir conhecimento", "passar conhecimento" ou "conscientizar uma pessoa" e substituí-las por "apresentar um conteúdo", "dialogar sobre algum tema", "incentivar ou inspirar alguém a mudar de atitude";

  • Usar a expressão “interação educativa” ao invés de “intervenção educativa”.

Obs: por sugestão de um leitor, desta vez não colocamos o texto "dentro" de uma imagem para torná-lo acessível a quem utiliza leitor de tela. Afinal, este também é um jeito de ser coerente na comunicação. Queremos saber a sua opinião sobre o uso destas palavras, se você já tinha pensado sobre isso, e se você tem outras dicas pra compartilhar! :-)

#Inspiração #EducaçãoAmbiental #Comunicaçãodialógica

Acessibilidade: nosso site possui audiodescrição das imagens como texto alternativo ou em caixas de texto. Quando possível, incluímos janela de LIBRAS.

Conteúdo inspirador sobre teoria em prática na educação ambiental direto no seu e-mail:

Entre em contato!

contato@fubaea.com.br

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Logo do FubáZINE