Entre em contato!

contato@fubaea.com.br

Conteúdo inspirador sobre teoria em prática na educação ambiental direto no seu e-mail:

Acessibilidade: nosso site possui audiodescrição das imagens como texto alternativo ou em caixas de texto. Quando possível, incluímos janela de LIBRAS.

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Logo do FubáZINE
  • Mayla Valenti

Comunicação para um mundo melhor (parte 3)



Com esta edição, chegamos ao fim da série de textos sobre comunicação coerente. Tivemos vários retornos positivos o que reforça que este é um tema importante. Por isso, nós consideramos que não é o fim, mas apenas o início do nosso diálogo. Nesta última parte, vamos compartilhar alguns cuidados que temos com o uso de alguns termos e expressões que são comuns na educação ambiental:

  • Usar "com" no lugar do "para" quando nos referimos às pessoas que participam das atividades para enfatizar a construção dialógica do conhecimento e evitar uma ideia de apenas transmissão de quem sabe a quem não sabe;

  • Usar "participantes" no lugar de "alunas(os)" para enfatizar o caráter participativo da atividade;

  • Não usar o termo "público alvo", ou mesmo “atingir” determinado público, pois passa uma ideia de imposição ou até de manipulação das pessoas;

  • Evitar frases como "transmitir conhecimento", "passar conhecimento" ou "conscientizar uma pessoa" e substituí-las por "apresentar um conteúdo", "dialogar sobre algum tema", "incentivar ou inspirar alguém a mudar de atitude";

  • Usar a expressão “interação educativa” ao invés de “intervenção educativa”.

Obs: por sugestão de um leitor, desta vez não colocamos o texto "dentro" de uma imagem para torná-lo acessível a quem utiliza leitor de tela. Afinal, este também é um jeito de ser coerente na comunicação. Queremos saber a sua opinião sobre o uso destas palavras, se você já tinha pensado sobre isso, e se você tem outras dicas pra compartilhar! :-)

#Inspiração #EducaçãoAmbiental #Comunicaçãodialógica