• Mayla Valenti

Estamos presenciando o maior desastre socioambiental do Brasil. E agora?


O que eu posso fazer? O que eu poderia ter feito? Isso poderia ter sido evitado? Como evitar outros impactos?

Pois é, estas e várias outras perguntas devem estar perambulando pela sua cabeça e pela cabeça de muitas pessoas que se preocupam com a sustentabilidade no nosso país e no mundo. Infelizmente a quebra das barragens da Samarco em Mariana (MG) aconteceu e a lama está deixando um rastro de destruição por onde passa. Entre as perguntas que podemos nos fazer agora, uma delas é: o que podemos aprender com isso tudo? É cada vez mais claro que precisamos repensar nosso modelo de progresso e desenvolvimento. A direção que estamos seguindo em relação ao meio ambiente é muito arriscada. E os resultados têm demonstrado que as perdas são, muitas vezes, irrecuperáveis. Ao mesmo tempo, em situações tão tristes como esta vemos uma rede de solidariedade se formando para enviar doações a quem foi afetada(o) pelo desastre, a articulação de cientistas para realizarem um relatório independente que retrate de fato o tamanho do impacto ambiental gerado e pessoas que sabem usar a sua posição como figura pública para pressionarem o governo a agir rapidamente, como o fotógrafo Sebastião Salgado que já propôs um plano de recuperação para a bacia do Rio Doce. Para você que ainda está se perguntando o que pode fazer para contribuir, nós selecionamos alguns materiais e links de campanhas que estão acontecendo pelo Brasil para ajudar as vítimas e para que as pessoas e empresas responsáveis sejam cobradas adequadamente. Nós precisamos mostrar que o Brasil não quer mais arriscar vidas (humanas e não humanas) dessa maneira.

O Instituto Terra apresentou um projeto de recuperação do Rio Doce. Para saber mais, acesse o site do instituto.

Cientistas voluntárias(os) lançaram uma campanha de financiamento coletivo para a realização de um relatório de impacto ambiental independente. O mesmo grupo de cientistas mantém uma página no Facebook com informações sobre as consequências do rompimento das barragens. Quem for da área ambiental pode solicitar participação também no grupo de voluntárias(os). Há mais informações na página.

Acesse aqui a campanha de financiamento coletivo para a realização do relatório independente.

Acesse aqui a página do grupo no Facebook.

O Avaaz tem um abaixo assinado online exigindo a responsabilização das empresas e uma ação imediata de limpeza e compensação para as vítimas.

Acesse aqui o abaixo assinado online.

Há vários locais recebendo doações de roupas, alimentos e água mineral. Se você puder ajudar, procure saber quem está recebendo as doações em sua cidade!

Nós também recomendamos um TED gravado em 2010, quando houve o grande vazamento de petróleo no Golfo do Mexico pela empresa BP, cujas reflexões continuam muito pertinentes.


E finalmente, terminamos o FubáZINE com este poema que circulou hoje pelo Facebook. Ele traduz o nosso sentimento de esperança apesar de todos os problemas que estamos enfrentado neste momento.


#Video #Biodiversidade #AçãoColetiva #Água #Inspiração

Acessibilidade: nosso site possui audiodescrição das imagens como texto alternativo ou em caixas de texto. Quando possível, incluímos janela de LIBRAS.

Conteúdo inspirador sobre teoria em prática na educação ambiental direto no seu e-mail:

Entre em contato!

contato@fubaea.com.br

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Logo do FubáZINE