Conteúdo inspirador sobre teoria em prática na educação ambiental direto no seu e-mail:

Entre em contato!

contato@fubaea.com.br

Acessibilidade: nosso site possui audiodescrição das imagens como texto alternativo ou em caixas de texto. Quando possível, incluímos janela de LIBRAS.

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Logo do FubáZINE
  • Mayla Valenti

Que tal um belo banho de natureza?

Muitas pessoas ambientalistas relatam que tiveram inúmeras vivências na natureza durante sua infância. E reconhecem que isso fez diferença na hora de fazer suas escolhas na vida adulta. De fato, pesquisas na área da educação ambiental vêm mostrando a importância do contato com a natureza para a formação das pessoas tanto na infância como na maturidade.




Realmente, fica mais fácil compreender a complexidade da vida e a interdependência de todos os seres humanos e não humanos, quando sentimos tudo isso na pele. Obter informações sobre o meio ambiente ajuda nesse entendimento. Mas o aprendizado se torna muito mais completo e significativo quando podemos observar de perto, sentir os cheiros, tocar, ouvir, degustar e presenciar as maravilhas dos ciclos naturais. E esse tipo de experiência está ficando cada vez mais raro em nossa sociedade urbanizada e digital.

As unidades de conservação são espaços privilegiados para esse tipo de experiência. São áreas públicas ou privadas protegidas por lei que têm como objetivo principal conservar a biodiversidade de uma região. Existem diversas categorias de unidades de conservação, cada uma com um objetivo de proteção ambiental. As mais conhecidas são os Parques Nacionais e Estaduais, que permitem a visitação do público em atividades de educação ambiental e ecoturismo.


Parque Nacional do Iguaçu no Estado do Paraná

As visitas às unidades de conservação são um verdadeiro banho de natureza. São plantas, animais, fungos, belas paisagens, trilhas, praias, montanhas, areia, rochas, manguezais, climas, texturas, sabores, odores e também modos de vida tradicionais, histórias, pinturas rupestres, e mais uma infinidade de elementos com os quais podemos interagir e aprender. Ou seja, nas unidades de conservação podemos vivenciar a natureza em seu sentido mais amplo, incluindo as riquezas ecológicas e culturais.


Parque Nacional de Ilha Grande no Estado do Rio de Janeiro

Além de nos proporcionar todas essas experiências durante as visitas, as unidades de conservação cumprem um papel fundamental na manutenção dos ambientes naturais e de culturas tradicionais. Mas poucas pessoas sabem disso. Ou seja, precisamos melhorar a divulgação e o entendimento das pessoas sobre as unidades de conservação.



Estação Experimental de Itirapina no Estado de São Paulo

Para mudar a situação, um conjunto de organizações socioambientais brasileiras lançou a campanha “Um dia no Parque”. A ideia é incentivar a visita a unidades de conservação por todo o Brasil por meio de atividades diversas que incluem trilhas guiadas, observação de aves, passeios ciclísticos, piqueniques, entre outras.



Parque Nacional das Emas no Estado de Goiás


Então, a nossa sugestão para você é aproveitar o mês de férias escolares para visitar uma unidade de conservação. Pode ser a unidade mais perto da sua casa, ou mesmo aquela que está próxima ao seu destino de viagem de férias. Aproveite esse belo banho de natureza para relaxar, recarregar as energias, reconectar-se aos ciclos naturais e aprender com a mente e com o corpo. Melhor ainda se você levar com você alguém que nunca esteve em uma unidade de conservação. Que tal?

Para saber todos os detalhes da campanha “Um dia no Parque” e descobrir a unidade de conservação mais próxima, acesse o site: https://www.umdianoparque.net/


Reserva Particular do Patrimônio Natural Buraco das Araras no Estado do Mato Grosso do Sul