Fubazine4.png
  • Mayla Valenti

O potencial educativo dos zoológicos

Atualizado: 17 de Jul de 2020



Os zoológicos são instituições muito antigas que surgiram na época dos grandes imperadores e que estavam diretamente relacionadas com o status e poder econômico e político de pessoas nobres e burguesas da época. Tempos depois, por volta de 1700, surgem os primeiro zoológicos europeus, os quais tinham o objetivo de expor animais sem nenhum propósito conservacionista ou educativo. No Brasil, a criação dessas instituições ocorreu muito tempo depois, somente no século XIX com a inauguração do Museu Emílio Goeldi, no Pará e, posteriormente, do Zoológico do Rio de Janeiro.


Com o passar do tempo e diante das transformações do nosso contexto socioambiental que acarretaram a destruição do habitat de muitas espécies, essas instituições foram modificando seus princípios, objetivos e propósitos, passando a ser consideradas centros de conservação da fauna silvestre. Então, os zoos mais modernos contemplam princípios relacionados à produção de conhecimento sobre a biodiversidade a partir de pesquisa científica; à execução de programas e projetos de conservação de espécies ameaçadas de extinção, à educação ambiental e, por fim, ao lazer.



Em relação à educação ambiental, esses espaços possuem imenso potencial para abordar a complexidade da problemática ambiental, pois permitem o contato das e dos visitantes com a diversidade de fauna do nosso planeta e, muitas vezes, também da flora, fortalecendo a construção de valores e atitudes para a conservação da diversidade biológica. Além disso, muitas educadoras e muitos educadores utilizam esses espaços como um ambiente para potencializar a sua prática pedagógica por meio das visitas monitoradas ou das demais campanhas e ações educativas promovidas por essas instituições.


Muitas pessoas não gostam de ir ao zoológicos pelo fato dos animais ficarem presos. Algumas ativistas pelos direitos dos animais são contra a sua existência. Porém, atualmente os zoos cumprem um papel fundamental no acolhimento e recuperação de animais feridos por atropelamentos ou capturados para o tráfico. Este é um tema bastante polêmico e que merece um diálogo profundo. Cada vez mais vivemos distante dos elementos naturais. Por isso, visitar um zoológico, um jardim botânico ou simplesmente a praça que fica próximo à sua casa é uma forma de nos conectarmos com a natureza e com a biodiversidade ali existente.


Neste momento que estamos vivendo, os zoológicos e outros espaços verdes estão fechados para visitação. Uma alternativa é buscar a natureza que está mais perto de nós, mesmo que seja cuidar de uma plantinha em um vaso, ou observar o céu ou uma ave da janela.


Outra alternativa é acompanhar as ações que esses espaços têm promovido pela internet. Nós da Fubá, por exemplo, desenvolvemos um site onde é possível conhecer alguns animais do Parque Ecológico de São Carlos sem sair de casa. O link de acesso é: www.fubaea.com.br/bora-pesc

#EducaçãoAmbiental #EspaçoEducador #Biodiversidade

33 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Gostou deste post?

Que tal contribuir para que possamos continuar publicando conteúdos gratuitos e ainda investir na sua formação em educação ambiental?

 

Se você gostou deste texto, provavelmente vai A-M-A-R o nosso curso online COMO?! Você pode experimentar o curso fazendo 3 aulas introdutórias gratuitas. Nós queremos te ajudar a colocar a teoria em prática na educação ambiental.

 

É só clicar no botão abaixo para saber mais!

#PraCegoVer #PraTodosVerem #Audiodescrição resumida: Foto de Ariane, Flávia, Andréia e Mayla. Elas sorriem e estão sentadas no chão de terra. Usam camisetas amarelas e lisas. Há uma caixa de texto branca no canto inferior esquerdo escrito: 3 aulas gratuitas para colocar a teoria em prática na Educação Ambiental. A imagem possui moldura verde.