• Mayla Valenti

Como colocar seu projeto de educação ambiental em prática e conseguir apoio para fazer mais

Atualizado: 20 de Set de 2019



Quando perguntamos para as pessoas que nos acompanham nas redes sociais sobre os seus desafios ao atuar com Educação Ambiental, uma das respostas mais frequentes é a dificuldade em conseguir apoio para os projetos.

Realmente esse é um problema que precisamos enfrentar em nosso dia a dia. Em nossas experiências, percebemos que duas atitudes podem nos ajudar bastante nesse sentido:


1- Não esperar pelas condições ideais para começar.

2 - Divulgar os resultados positivos desde o início.



Vamos compartilhar aqui um pouco mais sobre o que temos percebido em relação a esses dois aspectos.


1- Esperar pelas condições ideais para iniciar um projeto de educação ambiental pode significar nunca começar.

Dificilmente vamos encontrar alguma instituição e contexto totalmente favoráveis à realização de ações de educação ambiental. Entretanto, se a sua realidade for positiva, agarre a oportunidade, porque ela é extremamente rara.

Então, o comum é começar devagar mesmo, com os recursos que já temos. E o apoio vai aparecendo aos poucos, conforme vamos conseguindo mostrar para o público e para a instituição que o nosso trabalho realmente faz diferença.


Assim, a nossa sugestão é que você comece sem apoio mesmo. Isso pode significar não conseguir realizar todas as atividades que você gostaria, e não ter toda a infraestrutura, materiais e equipes necessárias, entre outros contratempos. Porém precisamos ajustar o nosso projeto às condições existentes no momento.


O que não significa se acomodar e não buscar apoio. Mas é realmente muito mais fácil conseguir esse apoio quando já temos algo de concreto para mostrar. Então, que tal usar a criatividade e se perguntar:


- Como eu posso começar o meu projeto hoje?


- A quais espaços, materiais e recursos eu já tenho acesso?


- Com quais pessoas eu poderia contar para me ajudar?


- Quais são os grupos relacionados ao tema do projeto que já existem? Como posso me aproximar desses grupos?


- Quais são as potencialidades educativas do contexto em que atuo ou quero atuar que já estão ao meu alcance?



2 - O segundo aspecto é aumentar o nosso esforço para analisar e divulgar os resultados obtidos.


Muitas vezes nós ficamos tão imersas ou imersos nas atividades que queremos realizar que acabamos dedicando pouca energia para avaliar as nossas ações. E este é um ponto importante para melhorar o nosso trabalho, de divulgá-lo e, consequentemente, conseguir apoio.


Costumamos ser pessoas muito críticas em relação ao nosso próprio projeto. E isso acaba limitando a divulgação dos resultados. Muitas vezes consideramos que o que fizemos não foi bom o suficiente para divulgar. Mas saiba que em geral, isso não é verdade! Precisamos dar valor às pequenas conquistas e ir melhorando aos poucos!

Por isso, a nossa sugestão é que você se afaste do perfeccionismo e da timidez e coloque a “boca no mundo”! Mostre para as pessoas as suas menores vitórias e as razões de você continuar investindo tempo e recursos naquele trabalho.

A nossa proposta para você nesta semana é planejar como você vai começar o seu projeto com aquilo que você já tem disponível e pensar em como vai avaliar e divulgar os resultados desse trabalho.



Se você está buscando ferramentas e novas metodologias para fazer seu projeto acontecer e realmente gerar transformação na sua realidade, temos uma ótima notícia.


As inscrições para o nosso curso online COMO?! já estão abertas!

O curso é leve, flexível e totalmente voltado para ajudar você a colocar a teoria em prática.


Clique AQUI para saber todos os detalhes!


Acessibilidade: nosso site possui audiodescrição das imagens como texto alternativo ou em caixas de texto. Quando possível, incluímos janela de LIBRAS.

Conteúdo inspirador sobre teoria em prática na educação ambiental direto no seu e-mail:

Entre em contato!

contato@fubaea.com.br

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Logo do FubáZINE