Conteúdo inspirador sobre teoria em prática na educação ambiental direto no seu e-mail:

Entre em contato!

contato@fubaea.com.br

Acessibilidade: nosso site possui audiodescrição das imagens como texto alternativo ou em caixas de texto. Quando possível, incluímos janela de LIBRAS.

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Logo do FubáZINE
  • Mayla Valenti

Dia Mundial do Meio Ambiente: o que precisamos fazer para mostrar que o meio ambiente importa?

Olá, tudo bem?


Hoje é o Dia Mundial do Meio Ambiente.


Com os retrocessos ambientais que estamos constatando no Brasil, fica difícil comemorar alguma coisa neste dia, não é mesmo? Ainda assim, hoje é uma data para mostrarmos para todas as pessoas que o meio ambiente importa! Este passo é fundamental no momento em que estamos vivendo.


Você pode estar se perguntando: como posso fazer isso? Nós selecionamos aqui alguns caminhos para refletirmos com você sobre este tema. São ideias abertas ao diálogo. Então, fique à vontade para contribuir deixando o seu comentário.




1. Usar argumentos e dados consistentes

Muitos dados equivocados ou mal interpretados têm sido usados para atacar as medidas de proteção ao meio ambiente em nosso país e até no mundo. Ao mesmo tempo, questionar argumentos ambientalistas tem sido uma prática comum. Isso mostra que nós precisamos melhorar os nossos argumentos. Precisamos encontrar caminhos para apresentar nossas opiniões de forma mais clara e objetiva, com base em informações e dados consistentes. E isso inclui tomar muito cuidado para não difundir “fake news”, mesmo que concordemos com o conteúdo dessas notícias! Implica também em divulgar as boas experiências verdadeiras, sejam de grande abrangência ou locais. Mostrar que a sustentabilidade socioambiental é possível é uma boa maneira de enriquecermos os nossos argumentos.


2. Exercitar a participação política

Embora seja muito importante melhorarmos as nossas práticas cotidianas na busca de minimizar o impacto no planeta, a influência das ações governamentais e de grandes empresas será sempre muito maior. Por isso, precisamos ir além das práticas individuais. Precisamos ampliar a nossa participação (e a pressão!) política e sempre incorporar esta reflexão em nossas práticas de educação ambiental. A atitude abrange manifestarmos indignação nas redes sociais, nas ruas, por meio de abaixo assinados... Também inclui buscar espaços de participação e tomada de decisão no território, como por exemplo, os conselhos municipais de meio ambiente e os de educação. Ou mesmo criar um movimento em prol de alguma causa específica que nos toca mais profundamente. Existem muitas formas de participar politicamente e cada pessoa se sente mais à vontade nesta jornada de um ou de outro modo.


3. Dialogar

Na sociedade polarizada em que vivemos, dialogar tem sido uma tarefa árdua. Mas não podemos desistir porque o diálogo é fundamental para aprendermos. E temos muito o que aprender com tudo o que está acontecendo hoje. Precisamos respirar fundo e de fato nos abrirmos para compreender as opiniões de cada pessoa.

O que faz alguém se posicionar contra a conservação ambiental? Por que ela pensa e age assim? Será que no fundo nós não temos preocupações e objetivos comuns? Será que é possível encontrarmos alternativas que satisfaçam esses objetivos sem ferir nossos valores? Sim, o diálogo com quem pensa diferente é um processo muito difícil de ser feito. Em alguns casos, impossível. Mas acreditamos que é preciso tentar. Não precisamos chegar a um acordo. Mas precisamos nos abrir para aprender com essas pessoas. Inclusive porque também temos o que ensinar a elas.


4 – Cultivar a esperança e continuar trabalhando

Mesmo com tantas notícias ruins sobre as questões ambientais, precisamos olhar para o que já avançamos e para o que tem sido feito de positivo neste tema. Assim podemos nos motivar a continuar o nosso trabalho que faz diferença para o mundo. Sim, e muita! Segundo Manuel Castells, um reconhecido sociólogo, o movimento ambientalista é um dos mais influentes da sociedade contemporânea.


Vamos fazer um exercício de voltar no tempo. Há 10 ou 15 anos, quantas pessoas que você conhece estavam preocupadas com o meio ambiente? Quantas pessoas falavam sobre reduzir o consumo e a produção de resíduos? Quantas pessoas se tornavam vegetarianas por preocupação ética e ambiental? Quantas pessoas sabiam da importância de conservar as áreas naturais? Quantas notícias sobre meio ambiente eram divulgadas na grande mídia? Na sua percepção, esse número mudou hoje em dia? A nossa impressão é a de que antes estávamos em uma “bolha ambientalista”. E que hoje, grande parte das pessoas pelo menos já ouviu falar alguma coisa sobre o assunto; muitas já mudaram algumas atitudes e outras se preocupam bastante com o futuro do planeta.


Você também tem essa sensação? Nós sabemos que não está tudo resolvido, mas precisamos valorizar os avanços que já conquistamos para cultivarmos a esperança de que ainda é possível fazer diferente. Mesmo passando por um período difícil, não podemos parar!



Agora, queremos saber o que você pensa sobre tudo isso. Em sua opinião, o que é preciso fazer para mostrar que o meio ambiente importa?Deixe seu comentário abaixo. O importante é buscarmos caminhos e estratégias diversificadas, adequadas a cada contexto e a cada realidade.