Conteúdo inspirador sobre teoria em prática na educação ambiental direto no seu e-mail:

Entre em contato!

contato@fubaea.com.br

Acessibilidade: nosso site possui audiodescrição das imagens como texto alternativo ou em caixas de texto. Quando possível, incluímos janela de LIBRAS.

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Logo do FubáZINE
  • Mayla Valenti

O que você veste causa impacto!

Atualizado: 8 de Abr de 2019


Muita gente nem imagina como a indústria da moda é impactante para o meio ambiente.

A produção das matérias-primas gera desmatamento, gasta muita água e polui demais. O trabalho análogo ao escravo costuma ser regra, desde a lavoura de algodão até a costura. O desperdício de material também é uma constante. Para a fabricação de tecidos são usados produtos químicos e até micro-plásticos que poluem os oceanos.


Isso sem falar nos processos de venda que fazem a gente querer comprar sempre mais e não se sentir adequada(o). Principalmente as mulheres.


É por tudo isso que nós precisamos melhorar a nossa relação com o vestir e com o consumir moda.


#pratodosverem Audiodescrição resumida: Imagem de símbolo gráfico de uma pessoa e a frase: O que você veste causa impacto!. O símbolo e a frase está em azul. A palavra impacto está em rosa e em tamanho maior. O fundo é amarelo.

Algumas dicas que temos tentado colocar em prática podem ajudar você a fazer mudanças por aí também:


- Comprar menos roupas. Já existem muitas roupas nesse mundo que podem ter a sua vida útil prolongada. Comprar em brechós, aproveitar aquela peça herdada, organizar trocas com as(os) amigas(os) podem ser boas alternativas. O Roupa Livre é um aplicativo de trocas de roupas e acessórios que pode ajudar nisso! (http://www.roupalivre.com.br/)


- Cuidar bem, consertar e customizar as peças que você já tem para não precisar comprar mais.- Doar as roupas que você não usa e que podem ser úteis para outras pessoas.


- Alugar (ao invés de comprar) aquelas roupas de festa que você só usa uma vez e depois deixa mofando no guarda-roupa. ;-)



- Evitar peças de origem animal como peles, couro e seda.


- Evitar as marcas e lojas que já foram denunciadas por usar trabalho análogo ao escravo. Neste site você encontra uma lista do ano passado com algumas marcas de roupas denunciadas pela ONG Repórter Brasil: http://jornalggn.com.br/noticia/levantamento-traz-lista-de-marcas-de-roupas-flagradas-com-trabalho-escravo. Você pode fazer uma pesquisa na internet sobre suas marcas preferidas, pois sempre há novas denúncias. Além disso, vale também procurar informações sobre marcas de sapatos e acessórios.


- Priorizar a compra de negócios locais, criativos e que usam matérias-primas mais sustentáveis. No site MODEFICA (http://www.modefica.com.br/) você encontra várias listas de marcas sustentáveis e muita informação sobre este tema.


Esse é o nosso convite para esta semana: pesquisar sobre a origem e os processos envolvidos nas roupas que você compra e buscar alternativas para se sentir bem ao mesmo tempo em que geram menos impacto ambiental (e social).

É um processo. Não é fácil, mas é possível!

Para te ajudar a conhecer mais e a refletir sobre este tema, nós indicamos o PodCast Você se Veste de Quê da Débora Schmidt Nardello sobre a produção de algodão – uma das mais importantes matérias-primas da moda.

Clique aqui para ouvir o PodCast!

A Débora tem uma marca de roupas feitas com tecidos reaproveitados – a Lusco Fusco (http://lojaluscofusco.com.br/) – e é ativista da moda sustentável.

Vale a pena conhecer o seu trabalho!

Se você quiser saber mais sobre educação ambiental na prática, conheça nosso curso online COMO?!: www.fubaea.com.br/cursoeducacaoambiental2019

#PráticasSustentáveis #sustentabilidade #presentessustentáveis #modasustentável #Consumo #Reaproveitamento #residuos